Pessoa jurídica pode ser considerada consumidora?

Evicção: uma palavra curta com efeitos devastadores
junho 14, 2016
Redução da carga tributária mediante criação de grupo econômico
junho 27, 2016

Pessoa jurídica pode ser considerada consumidora?

Por Maria José de Souza Arakaki (sócia do escritório Arakaki Advogados)
Afinal, pessoa jurídica pode ou não pode ser considerada consumidora?
A resposta é sim, pode. Desde que a pessoa jurídica esteja dentro do conceito de destinatária final, conforme determina a lei consumerista (Lei 8.078/90 – Código de Defesa do Consumidor).
O artigo 2º do Código de Defesa do Consumidor traz a seguinte determinação: “Art. 2° Consumidor é toda pessoa física ou jurídica que adquire ou utiliza produto ou serviço como destinatário final”.
Por sua vez, destinatário final é aquele que tira o bem do mercado para uso próprio, retirando o bem da cadeia produtiva.
Para tanto, a pessoa jurídica não pode revender o bem ou serviço, mas tão somente utilizá-lo para suprir suas próprias necessidades, sem a ideia de utilizar o produto ou serviço como insumo.
Em termos práticos, a finalidade do diploma consumerista é a proteção do consumidor que vem especificada no artigo 4º do Código de Defesa do Consumidor.
Logo, a pessoa jurídica que se encaixa no conceito de destinatária final tem à sua disposição todos os direitos e garantias presentes no Código de Defesa do Consumidor para tutelar a relação de consumo.
No caso da pessoa jurídica utilizar o produto ou serviço como meio produtivo, insumo, para o seu negócio, estará descaracterizada a relação de consumo e aplicar-se-á as regras do Código Civil e não as do Código de Defesa do Consumidor.

Os comentários estão encerrados.

Inscreva-se
Enviar